13.6.18

Viajando Sozinha , parte 2 - E o marido?

13.6.18
Seguindo a serie sobre viajar sozinha...

Depois de "gostaria de ter a sua coragem" [assunto do post anterior a esse],  o que mais ouvi nos últimos dias  foi : E o seu marido? Por que não veio? Voces brigaram? Ele deixa? Ele não se importa? 

Essas perguntas remetem a muitas percepções do que cada pessoa espera e pratica em seus relacionamentos. Aqui vou falar, das nossas. 

Começo contando que somos um casal hetero e [no que me diz respeito] monogâmico, caminhando para a meia idade (eu 45, ele 53), estamos há 10 anos juntos, e nem eu, nem ele estamos no primeiro casamento. Isso de alguma forma faz com que tenhamos visões e expectativas menos romantizadas de uma relação. E não temos filhos (sou madrasta). 

Além disso, meu primeiro casamento [e levei um tempo para me dar conta disso] foi um relacionamento abusivo. E ao embarcar em outro relacionamento, algumas coisas me eram essenciais, entre elas, manter a minha individualidade. Meu marido também tem o histórico dele de relações e também tem aquilo que é inegociável pra ele. 

Uma das primeiras coisas que ele me disse no início da nossa vida juntos foi : NÃO ABRA MÃO das duas amizades e do que você gosta. Porque eu nao vou abrir mão de tudo por você e nao quero que amanhã você me cobre isso. Fiquei bem chocada com a conversa na época, mas o tempo me mostrou que ele estava coberto de razão. Não sei se ele imaginava que eu um dia iria tão longe sem ele mas levei a sério o conselho. rsrsrs 

E que  fique claro, amamos viajar juntos, e fazemos isso sempre que possível. Já conhecemos vários lugares e temos uma lista de lugares pra conhecer ou voltar. Ele tinha o sonho de ir a Salvador, e conseguiu encarar 1h30m de voo pra conhecer. Eu já tinha ido e foi um prazer voltar com ele. Aos poucos vamos esticando a distancia pra ele ir se acostumando. rsrsrs


Foz do Iguacu

Buenos Aires


Mas o fato de amarmos fazer isso juntos nao significa que SÓ possamos fazer isso juntos. Meu marido é SEMPRE a primeira pessoa que eu penso em ter comigo nas minhas viagens. Mas há um problema. Ele tem fobia de avião e de altura. Voar eh emocionalmente muito complicado para ele. Já fizemos algumas viagens aéreas juntas, de duração mais curta. Mas ele achou um voo de 5hs seria demais para ele e optou por não ir. Então eu fui. 

Canela/RS

Salvador




Nem ele se viu obrigado a fazer algo que  seria especialmente complicado para ele, nem eu deixei de realizar um projeto pessoal por um problema que não é meu(ao contrário dele eu AMO voar). Nao eh uma questão de ter um "marido legal que ME DEIXA viajar". Esse eh um direito MEU, como eh um direito DELE, e se ha por algum motivo a possibilidade ou necessidade de fazer algo sem o outro, o fazemos. Isso é respeito à individualidade, na nossa leitura dos fatos. 

Ah então quando a viagem eh terrestre vocês SÓ viajam juntos, entendi! Não, não entendeu. Ele ja viajou de moto com amigos dele para um fim de semana "cueca" e eu ja viajei de carro num fim de semana com amigas, e nos dois casos, todos em ambos os grupos, eram casados ou comprometidos e foram sem seus pares. E tudo bem. 

Ah mas você não tem medo de... Do que? De criar oportunidades para o parceiro? Amiga, oportunidades aparecem O TEMPO TODO para todo mundo. E ficar plantada perto do(a) seu(sua) companheiro(a) não lhe garante nada. E convenhamos, se seu relacionamento não suporta uma semana de afastamento sem que você imagine mil coisas, eh isso mesmo que você quer pra sua vida? Viver em função de vigiar o (a) outro(a)? 

Eu acho que tudo no final se resume a desfazer a ilusão de que temos algum controle sobre o outro, ou sobre o relacionamento. Nós nos amamos mas entendemos que a vida a dois é mais que estar grudados o tempo todo. Nem sempre pensei assim. Mas o tempo ajuda a colocar tudo em perspectiva. 



Não somos um casal lindamente desconstruído, harmonioso e perfeitinho. Temos muitos problemas, mas aprendemos com os erros do passado e tentamos fazer diferente. Aprendendo a cada dia. 

Fazemos muita coisa juntos. Mas também muita coisa separados. Isso nos mantém com assunto, pra começar rsrsrs e permite que cada um invista nos seus interesses. 

E no fim é muito bom pensar no relacionamento  a dois não como o fim da minha liberdade, mas a possibilidade de compartilhar a minha liberdade ao lado de outra pessoa que é livre mas escolhe estar ao meu lado. A vida assim eh mais leve e bacana. 

Meus sonhos são só meus. E cabe a mim ir realiza-los.  Se for possível ir acompanhada ok, se não,  vou sozinha mesmo! 

E você? Que planos você engavetou porque seu par não compartilha dos mesmos objetivos? Seria lindo se nossos sonhos fossem os mesmos para os dois . Mas nem sempre são, e numa relação em que alguém se anula em função do outro não há felicidade real.

Me conte: Ja pensou em viajar sozinha? Tem lugares que gostaria de ir mas eh um desejo so seu? 




Design e Desenvolvimento por Lariz Santana