1.9.17

Como lidar com as finanças do casal?

1.9.17
Poucos assuntos numa relação são tão importantes e delicados quanto finanças. Este costuma ser uma das maiores fontes de desentendimentos entre casais.



Para complicar, vivemos num país em crise – custo de vida aumentando muito, muitos desempregados, muitos que tinham a vida certinha CLT e hoje estão no mercado informal, muitos que tinham renda variável e perderam comissões/horas extras/sobreavisos e a renda despencou. E muitos estão tendo que ajudar sua família, já que algumas pessoas estão trabalhando sem receber salário (caso, por exemplo, dos funcionários públicos do RJ). Não importa qual a nossa situação, todos estamos sofrendo com a situação do pais.

Então como lidar? A idéia aqui eh não é trazer formulas prontas, por que elas nao existem – cada família encontra sua forma de lidar com o tema. Mas trazer algumas possibilidades e ideias que podem servir para você. Este foi um post colaborativo, e agradeço desde já as amigas que se dispuseram a falar do assunto.

A primeira coisa: FALEM SOBRE DINHEIRO COM SEU PARCEIRO.
Nao pode haver tabu sobre este assunto. Problemas financeiros costumam ser muito mais um problema comportamental do que matemático. Cada um trouxe, ao casar, suas crenças e valores sobre dinheiro. E nem sempre essas crenças sao semelhantes.



Casos mais comuns:
- Um pensa em poupar para realizar sonhos e viver de forma equilibrada, e o outro é perdulário, gastador.
- Ou as vezes nem é gastador mas simplesmente nao sabe controlar as finanças e está sempre no vermelho;
- Nenhum dos dois tem ideia de como lidar com finanças e precisam aprender juntos;


DECIDAM COMO as finanças serão administradas entre vocês. São várias as possibilidades:
- Ha casais que preferem dividir entre si quem paga o quê, e cada um honra seus compromissos;

- Outros abriram uma conta conjunta para este fim, e depositam mensalmente os valores relativos as contas.  Mas mantém uma conta corrente individual, e o que sobra do salario de cada um, gastam/investem como querem;

- Outros deixam essa responsabilidade apenas para UM em casa, que tem mais aptidão ou mais tempo para administrar. O outro apenas transfere o valor devido para quem vai cuidar do assunto.



Esse controle também varia muito:
- Alguns casais mais habituados a tecnologia usam planilhas e agendas compartilhadas (alô google docs) para organizar a vida financeira. Ou nao compartilham, mas mantém controle em planilhas e aplicativos;

- Outros usam o bom e velho caderninho – alguns casos um caderno para a casa toda, outros um caderno para o casal, para anotar todos os gastos e ver onde eh possivel fazer ajustes;

- Há os que deixam os recursos de uso mais imediato em casa, numa gaveta, por exemplo. Um sempre prestando contas ao outro de quanto usou e repondo o valor;

  
PLANOS E PROJETOS PESSOAIS E DO CASAL
Eu parto do principio de que existem os planos de cada um, e os planos do casal. Temos um relacionamento mas precisamos manter a individualidade. Então conversem sobre seus planos individuais e vejam como voces podem se planejar para, a seu tempo, cada um realizar seus projetos. Alguns projetos são simples , outros (educação continuada, viagens, compra de bens duraveis como carro e imovel) demandam tempo e planejamento. Se numa relação só um se realiza e o outro assiste...tem algo errado. E não há nada demais em um participar na realização dos sonhos do outro, desde que haja equilíbrio no que é dado e recebido.

Como realizar todos os sonhos, individuais e do casal? 


Acima de tudo, saiba dizer NÃO. Sim, por que pode acontecer de um dos dois querer dar um passo MUITO maior do que as pernas, sem se planejar.  É ótimo comprar um imovel ou um carro, ou uma viagem, ou um celular novo,  mas voce sabe como vai pagar? Se você é contra, expresse sua opinião, porque depois apenas dizer EU TE DISSE...nao adianta! Parceria também é saber dizer a verdade ao outro. Não se omita!

Sobre investimentos:
- Alguns casais mantém seus investimentos em separado, cada um com sua poupanca, por exemplo;

- Outros tem uma poupanca conjunta para os projetos do casal, e uma individual para seus projetos pessoais;

- E outros mantém um investimento conjunto, alimentado pelos dois e as vezes ate pelos filhos, para os projetos em comum.;

- Para os que são autônomos e muitas vezes tem dinheiro na mão, diariamente:  Uma boa pratica, eh se determinar a separar diariamente uma quantia (10 reais que seja, se possível), para guardar. No começo é difícil, e nem todo dia você pode ter essa quantia para guardar. Mas uma vez que você começa e tem um plano, você vai se motivar. E vai se surpreender quando ver o quanto foi capaz de guardar, para uma emergência ou pra realizar um projeto!

Aprender a poupar para imprevistos eh necessario!


Quando as coisas mudam
Esteja pronto para mudanças repentinas. Um dos dois pode perder o emprego, ou mesmo ficar impossibilitado de trabalhar por razoes médicas.  Pode ficar um longo período sem poder gerar renda como antes,  e o outro terá que assumir temporariamente todas as finanças, ou o padrão de vida pode se modificar rapidamente.  Saber ser solidário ao outro nesse momento, e ter a flexibilidade de mudar a rotina e os hábitos, eh fundamental.

Para os que já tinham o habito de se planejar, fica menos difícil (porque fácil nunca é) passar por esses momentos. Mas se a família vive na roda viva financeira estando os dois gerando renda, gastando muito acima de suas capacidades, quando um deles perde sua renda, o castelo desmorona!

E quando ja estamos todos envididados?
É o momento de sentar e ter uma conversa muito séria sobre a vida que vocês pretendem ter. E agir concordemente. Avaliem sua situação, ponham TODAS as dividas na mesa, tracem um plano e comprometam-se com ele até o fim. Vocês merecem dormir sem a espada das dívidas multiplicando sob suas cabeças! Sobre como se livrar das dívidas, ja falei AQUI.

Nem sempre a conversa será facil. Mas é necessaria!


Na maioria dos casos, a decisão de mudar a vida financeira do casal não é tomada em conjunto. Um dos dois decide e tenta levar o plano a frente. Prepare-se para enfrentar resistências se esse for o caso, e espero que você encontre forças para nao desistir! 

Muitos casais vivem com problemas quando não há aptidão para lidar com finanças, nem a HUMILDADE de reconhecer isso e pedir ajuda. Por outro lado, se reconhece o problema e se propoe a viver de outra forma, os resultados sao maior estabilidade financeira, o que leva a prosperidade, e menos fonte de pressão para a vida a dois. Nao é fácil, e leva algum tempo para se chegar ao equilíbrio. Mas ele chega a quem não desiste!

(Notem que não toquei no assunto filhos. Por nao ser mãe, entendo que nao me cabe falar deste assunto. Mas acredito que os principios acima também ajudam muito a decidir a melhor forma de lidar com a chegada do(s) filho(s). )

O ponto crucial deste assunto é, lidar com dinheiro numa relação exige PARCERIA, RESPONSABILIDADE, CONSIDERAÇÃO e HUMILDADE. A forma como usamos o dinheiro numa relação reflete muito de quem somos. Precisamos ter a consciência de que o que fazemos, afeta a vida e os planos dos que estão a nossa volta. E humildade sim, de aceitar que aquilo que queremos talvez não possa ser adquirido agora. Não dá pra fazer o que se quer quando quer, sem haver consequências pra todos em volta.  
 
Nao ha idade pra começar. E quanto antes, melhor! 

Para finalizar, gostaria de deixar dicas sobre livros que li sobre finanças e que me ajudaram muito, recomendo!





Vida financeira equilibrada é também, qualidade de vida. Pense nisso!

E na sua casa, como se lidam com as finanças? Me conta!

Abraços!
















-





2 comentários:



Design e Desenvolvimento por Lariz Santana